Flavio Cruz

Estou aprendendo

Todos os dias, aprendo.
Aprendo a viver,
aprendo como se deve morrer,
aprendo a envelhecer.
Aprendo a amar quem,
um dia, odiei.
Aprendo a entender
o que nunca entendi.
Aprendo a entender sons
que não se ouvem
e silêncios que falam.
Aprendo o ver o preto e branco nas cores.
Aprendo a ver a cor
que se esconde no branco e no preto.
Aprendo o que não se deve aprender
e o que se deve também...
Aprendo a falar línguas
que não se falam.
Aprendo que há coisas,
que nunca vou aprender.
Aprendo que devo acreditar
no que é impossível de se acreditar.
A duvidar do óbvio.
Aprendo que é impossível
viver sem amar.
A cada minuto, aprendo.
Aprendo a separar o essencial do circunstancial,
e a incluir o imprescindível no supérfluo.
E, finalmente, aprendo
a entender meu próprio ser,
todos os dias, um pouco mais.

 

Todos los derechos pertenecen a su autor. Ha sido publicado en e-Stories.org a solicitud de Flavio Cruz.
Publicado en e-Stories.org el 15.05.2015.

 

Comentarios de nuestros lectores (0)


Tu comentario

¡A nuestros autores y a e-Stories.org les gustaría saber tu opinión! ¡Pero por favor, te pedimos que comentes el relato corto o poema sin insultar personalmente a nuestros autores!

Por favor elige

Post anterior Post siguiente

¿Este novel/poem viola la ley o el reglamento de publicación de e-Stories.org?
¡Por favor, infórmanos!

Author: Changes could be made in our members-area!

Mas de"Vida" (Poemas)

Otras obras de Flavio Cruz

Did you like it?
Please have a look at:

Amores tais - Flavio Cruz (Amor & Romance)
Stars - Christiane Mielck-Retzdorff (Vida)
Die Stadt an drei Flüssen - Paul Rudolf Uhl (Vida)