Flavio Cruz

Um pequeno poema para um imenso amor

Eu não queria ser não, o teu caderninho...
Nem queria que você me visse nas curvas da Estrada de Santos...
Nem mesmo ficar no teu corpo como tatuagem eu queria...
Só beijar-te as mãos, minha querida, como queria o Anísio Silva?
Não pode ser só isso, como na perdida e distante canção.
Nem mesmo ficar repetindo três vezes “te quero, te quero, te quero”,
como na melodia dos Beatles.
Quero muito mais.
Quero teu corpo embrulhado em tua alma,
Quero tua alma reencarnada em teu corpo, só para mim.
Milhares de vezes, reencarnada. Carne e alma.
Quero tudo. Toda você, por inteira.
E quero que me queiras também!
Isso é pedir muito?
 
Sinto muito, mas é isso tudo que eu quero e nada mais.
 

 

Todos los derechos pertenecen a su autor. Ha sido publicado en e-Stories.org a solicitud de Flavio Cruz.
Publicado en e-Stories.org el 27.04.2015.

 

Comentarios de nuestros lectores (0)


Tu comentario

¡A nuestros autores y a e-Stories.org les gustaría saber tu opinión! ¡Pero por favor, te pedimos que comentes el relato corto o poema sin insultar personalmente a nuestros autores!

Por favor elige

Post anterior Post siguiente

¿Este novel/poem viola la ley o el reglamento de publicación de e-Stories.org?
¡Por favor, infórmanos!

Author: Changes could be made in our members-area!

Mas de"Amor & Romance" (Poemas)

Otras obras de Flavio Cruz

Did you like it?
Please have a look at:

Como é bom um velho amor - Flavio Cruz (Amor & Romance)
Silent Mood - Inge Offermann (Amor & Romance)
Promised man - Jutta Knubel (Amor & Romance)