Flavio Cruz

O Planeta Azul

 
 
A Nasa divulgou há algum tempo o que eles consideram a foto de nosso planeta com a mais alta resolução até hoje alcançada. Temos de admitir que a Terra é linda. Um azul maravilhoso permeado de nuvens brancas, tons de verde, e um leve marrom  aqui e ali.
Agora imagino uma nave espacial vindo de uma galáxia distante, aproximando-se de nós. Seres muito mais avançados, eles têm tecnologia para ver de longe mais detalhes nossos. Construções, rodovias, nossos satélites orbitando. Com seus potentes computadores e aparelhos podem deduzir qual o nosso grau de evolução, a fase de civilização em que nós estamos. Será, pensariam eles, que esta é uma civilização que usou a tecnologia para equilibrar as diferenças sociais, eliminando a fome a pobreza? Ou será que fez com que os mais privilegiados ficassem ainda mais ricos e deixassem os pobres mais pobres? Será que diante da maravilha da ciência, os humanos desenvolveram a compaixão, sentimentos de amizade e aproximação? Ou será que o desejo de poder foi aguçado pela ciência e suas possibilidades, separando poderosos e fracos? Ainda existem as pequenas delicadezas do dia a dia, doces olhares, um gesto amigo ou uma mão estendida? Ou será que é tudo frieza, praticabilidade, objetividade? Ciência pura e fria ou tecnologia que traz prosperidade, bom senso, enternecimento? Robôs práticos e eficientes que dispensam a sensibilidade humana ou um avanço criativo que explora a singularidade da mente humana? Preconceito ou concordância?
Nem uma coisa nem outra.
Somos mistura de amor e ódio, progresso e atraso, estação espacial e carro de bois, internet e analfabetismo, covardia e coragem, espiritualidade e materialismo, superficialidade e essência.
Um amálgama estranho, vibrante, amedrontador e ao mesmo tempo cheio de promessas e ameaças, que às vezes assusta e outras, encanta. Se os nossos visitantes pudessem conviver um pouco conosco, ficariam admirados de como tanta diferença possa conviver no mesmo espaço, na mesma era... Eu acho que, ao mesmo tempo, eles ficariam assustados e encantados... e talvez tivessem esperanças quanto ao nosso futuro. Talvez na nossa diversidade esteja a nossa beleza, a realização de nossos sonhos e de nossas esperanças...Bem vindo ao  Planeta Terra, o “Planeta Azul”...

 

Todos los derechos pertenecen a su autor. Ha sido publicado en e-Stories.org a solicitud de Flavio Cruz.
Publicado en e-Stories.org el 04.05.2015.

 

Comentarios de nuestros lectores (0)


Tu comentario

¡A nuestros autores y a e-Stories.org les gustaría saber tu opinión! ¡Pero por favor, te pedimos que comentes el relato corto o poema sin insultar personalmente a nuestros autores!

Por favor elige

Post anterior Post siguiente

¿Este novel/poem viola la ley o el reglamento de publicación de e-Stories.org?
¡Por favor, infórmanos!

Author: Changes could be made in our members-area!

Mas de"Ciencia-Ficción" (Relatos Cortos)

Otras obras de Flavio Cruz

Did you like it?
Please have a look at:

Os “Meninos da Casa Branca” - Flavio Cruz (Política & Sociedad)
El Tercer Secreto - Mercedes Torija Maíllo (Ciencia-Ficción)
El Tercer Secreto - Mercedes Torija Maíllo (Ciencia-Ficción)