Flavio Cruz

O velho diabo


Conta a história que Bartolomeu Bueno da Silva, o grande bandeirante, andava à procura de ouro pelas terras paulistas. Pediu ajuda aos índios em sua empreitada, mas eles não queriam, como se costuma dizer, “entregar o ouro”. O manhoso aventureiro derramou um pouco de aguardente num recipiente e colocou fogo. Disse, então, que ele incendiaria os rios, se eles não lhe dessem a informação. Diante de tal ameaça de destruição, eles cederam e deram-lhe o apelido de Anhanguera, que significa “diabo velho” ((anhang + puera).
Cada época tem seus demônios lançando ameaças contra os mais fracos. Nós também temos os nossos e até sabemos quem eles são. Só não sabemos qual é nossa aguardente e qual é nosso fogo. Quando descobrirmos sua artimanha, já terão tirado nosso “ouro” também. E, talvez, nossos descendentes igualmente os homenageiem, dando seus nomes a bonitos locais. Como nós fizemos com nosso antepassado Anhanguera. Por que nós veneramos nossos algozes? Não sei, não sei...
 

 

Todos los derechos pertenecen a su autor. Ha sido publicado en e-Stories.org a solicitud de Flavio Cruz.
Publicado en e-Stories.org el 08.06.2015.

 

Comentarios de nuestros lectores (0)


Tu comentario

¡A nuestros autores y a e-Stories.org les gustaría saber tu opinión! ¡Pero por favor, te pedimos que comentes el relato corto o poema sin insultar personalmente a nuestros autores!

Por favor elige

Post anterior Post siguiente

¿Este novel/poem viola la ley o el reglamento de publicación de e-Stories.org?
¡Por favor, infórmanos!

Author: Changes could be made in our members-area!

Mas de"Histórico" (Relatos Cortos)

Otras obras de Flavio Cruz

Did you like it?
Please have a look at:

A dama do 747 - Flavio Cruz (Cuentos)
El Tercer Secreto - Mercedes Torija Maíllo (Ciencia-Ficción)