Flavio Cruz

Como é bom um velho amor

Como é bom um velho amor,
que de velho nada tem,
que de tanto e tanto amar,
de amar não se cansa mais.
Como é bom um velho amor,
que mesmo sabendo o que vem,
faz de conta que é surpresa,
que rompe só para reatar,
que erra só para perdoar,
que termina só para voltar,
e que se finge de morto,
só para poder renascer.
Como é bom um velho amor,
que finge não ter graça,
só para mais graça achar,
que finge ter segredos,
onde segredos não há.
Como é bom um velho amor
que sabe  reconhecer
que dois não são mais dois,
mas tão somente um só,
poderoso, forte, amor,como um grande amor deve ser...

 

Todos los derechos pertenecen a su autor. Ha sido publicado en e-Stories.org a solicitud de Flavio Cruz.
Publicado en e-Stories.org el 09.07.2016.

 

Comentarios de nuestros lectores (0)


Tu comentario

¡A nuestros autores y a e-Stories.org les gustaría saber tu opinión! ¡Pero por favor, te pedimos que comentes el relato corto o poema sin insultar personalmente a nuestros autores!

Por favor elige

Post anterior Post siguiente

¿Este novel/poem viola la ley o el reglamento de publicación de e-Stories.org?
¡Por favor, infórmanos!

Author: Changes could be made in our members-area!

Mas de"Amor & Romance" (Poemas)

Otras obras de Flavio Cruz

Did you like it?
Please have a look at:

Um delicioso sim - Flavio Cruz (Amor & Romance)
It is love... - Jutta Knubel (Amor & Romance)
The secret is ... - Inge Hoppe-Grabinger (Psicológico)