René Henrique Götz Licht

Há justiça na poesia?

Há uma fixação pela justiça em mim;

uma compulsão que me faz injusto.

Pode, ainda, não ser o meu fim,

se tudo não passar de mero susto.

 

Ser poeta é colocar-se em desuso

com todas as cousas da vida virada;

Ser poeta é saber-se um tanto obtuso

para a vida, como o saberia a boa fada.

 

E lá vem o oito novamente,

o infinito que, insistente, se me exibe;

Deita-se e enrola-se como serpente;

nos meus sentimentos que inibe.

 

Justiça e amor, na vida essencial

tornam-se bem precioso, pois imaterial;

Ser tratado com repelência e rancor,

ah, fazem brotar dessa justiça e desse amor.

 

Os opostos talvez se atraiam

para num todo se amalgamar;

Dei-me de tudo nesta vida experimentar

para que meus retalhos vitais não se me caiam.
 

Todos los derechos pertenecen a su autor. Ha sido publicado en e-Stories.org a solicitud de René Henrique Götz Licht.
Publicado en e-Stories.org el 21.05.2021.

 

Comentarios de nuestros lectores (0)


Tu comentario

ˇA nuestros autores y a e-Stories.org les gustaría saber tu opinión! ˇPero por favor, te pedimos que comentes el relato corto o poema sin insultar personalmente a nuestros autores!

Por favor elige

Post anterior Post siguiente

żEste novel/poem viola la ley o el reglamento de publicación de e-Stories.org?
ˇPor favor, infórmanos!

Author: Changes could be made in our members-area!

Mas de"Pensamientos" (Poemas)

Otras obras de René Henrique Götz Licht

Did you like it?
Please have a look at:

Chaser - René Henrique Götz Licht (Soledad)
Poppies - Inge Offermann (Pensamientos)
that life is such a maze ... - Inge Hoppe-Grabinger (Emociones)